As 12 Lições de Génio que Steve Jobs Deu a Guy Kawasaki

As 12 Lições de Génio que Steve Jobs Deu a Guy Kawasaki

Achas que poderias aprender alguma coisa de marketing  com o Chief Evangelist da Apple, Guy Kawasaki? E se ele te ensinasse o que aprendeu com o próprio Steve Jobs? Seria imperdível não seria?

Guy Kawasaki trabalhou com Steve Jobs e é um dos maiores especialistas mundiais nas áreas de Tecnologia e Marketing. Ele é um proeminente capitalista de risco de Silicon Valey, autor “best-seller” e conselheiro da Apple Inc.

No dia 6 de Outubro de 2011 Guy Kawasaki ia dar uma palestra acerca de “Encantar Clientes” no contexto do seu livro best seller “Encantamento” (versão portuguesa edições Vogais).

Claro, li e recomendo “O Encantamento” de Guy Kawasaki:

Inspirado pela ocasião da morte de Steve Jobs que acontecera um dia antes, ele mudou a sua apresentação e, em vez dela, criou uma outra em homenagem ao visionário da Apple.

Nessa palestra ele compilou as 12 lições que aprendeu no contacto diário com Steve Jobs. São arrebatadoras. Simples. Poderosas para qualquer pessoa que pretenda ter uma intervenção em qualquer atividade de transformar ideias em dinheiro (qualquer atividade empreendedora) ou de liderança.

Guy Kawasaki fala das lições que aprendeu com Steve Jobs

Guy Kawasaki fala das lições que aprendeu com Steve Jobs

 

Recolhi as lições e teci os meus comentários. O que eu aprendi com as 12 lições que Steve Jobs deu a Guy Kawasaki.

As 12 lições de Steve Jobs foram estas:

1. Os “gurus” ou os “especialistas” são inúteis.

Guy Kawasaki diz que Steve Jobs não prestava atenção aos especialistas, pelo contrário eles é que lhe prestavam atenção a ele.

Enquanto empreendedor precisas ser autónomo, ler o mercado por ti mesmo, ver o que ainda não é visível (ser um visionário). Nenhuma destas coisas um especialista te pode ajudar, ele só te pode mostrar um pouco do “que é”, tu precisas ver o que “irá ser”.

2. Os clientes não conseguem dizer-te o que realmente precisam.

Esta é uma frase típica de Steve Jobs: “muitas vezes uma pessoa não sabe o que quer até que tu lho mostres”.

Isto significa o seguinte:
A mente humana funciona maioritariamente em modo adaptação. Em determinadas circunstâncias, adaptamo-nos. Raramente o instinto nos diz para mudarmos essas circunstâncias. Somente quando elas são mudadas nos apercebemos do quanto essa mudança fazia falta.

Imagina a falta que a Internet fazia quando não existia! Nenhuma! Agora quase não vivemos sem ela.

3. Os maiores desafios precedem todas as realizações extraordinárias.

Pensa nas coisinhas que te fazem desesperar, perder a paciência ou que te criam frustração. Nunca fujas a uma luta, nunca voltes as costas a um desafio. Ele é o que precisas para ganhares as competências e o conhecimento necessários para passares ao próximo nível.

Bónus Para os Leitores deste Artigo:

eBook Mentalitude

  

Tudo o que expliquei a um grupo de empreendedores que ganharam mais de 5.5 milhões de dólares. Download grátis aqui!

4. O design conta.

Design é o conjunto ferramentas usadas para provocar as experiências sensoriais que o cliente experimenta enquanto usa um produto ou um serviço. O toque, o som, o cheiro, o sabor, o aspeto de uma coisa produzem um efeito no cérebro e na qualidade da experiência de consumo.

Isso é o design.Se for atraente agarra os clientes como uma droga.

5. Grafismos grandes, tipos de letra grandes.

Usar letras grandes tem duas vantagens: a tua mensagem torna-se mais visível e tens de dizer as coisas de forma mais sucinta porque cabem menos palavras no mesmo espaço.

Apresentações em Powerpoint… esta é a grande regra de ouro.

6. Inova, não te limites a melhorar o que já existe,

Acontecem verdadeiros saltos quânticos quando se faz algo que nunca foi tentado antes. O medo de falhar é somente um filtro que deixa de fora que não está preparado para ser o melhor no seu campo de ação.

 

7. A única coisa que interessa é se “Funciona”.

Se algo não funciona não serve. Muda-se. Incluindo as ideias. É sinal de inteligência mudar de opinião. Steve Jobs admitiu inúmeras vezes que os produtos da Apple tinham de ser melhores. E só o foram porque ele tinha admitido isso e tratado de os melhorar.

8. “Valor” e “Preço” são coisas distintas.

Impossível fazeres uma boa venda se o teu cliente achar que o teu produto “não vale o dinheiro”. Isto não tem nada a ver com o preço, mas com a percepção do valor do produto por parte do cliente.

Um carro velho não vale nada para mim. Para um colecionador pode valer uma fortuna. Eu nunca daria dinheiro por ele por muito bom que o vendedor fosse. Mas em relação ao segundo, o vendedor provavelmente nem precisa de vender: somente entregar e receber meia-fortuna por ele.

9. “Jogadores da Primeira Liga” trabalham com “Jogadores da Primeira Liga”.

Quando tens medo de trabalhar com pessoas melhores que tu, vais rodear-te de pessoas piores que tu. Essas pessoas, por sua vez vão rodear-se de pessoas piores que elas e daqui a pouco tens uma organização de idiotas, contigo à cabeça.

10. Quem lidera tem as mãos na massa.

Sendo um líder de uma organização precisas conhecer bem o que a organização faz. Steve Jobs apresentava sempre ele mesmo os novos produtos, contrariando a prática corrente da indústria de colocar técnicos ou executivos ou engenheiros das respetivas áreas a fazer isso. Ele estava sempre completamente por dentro de tudo o que se passava na organização e fazia questão de o mostrar.

11. Empreendedorismo verdadeiro.

Para Steve Jobs e para Guy Kawasaki, o verdadeiro empreendedorismo é um mindset dinâmico. Tudo está em evolução e todas as vitórias e desafios são oportunidades para crescer. Como Guy diz: “não digo para colocarmos no mercado uma porcaria, mas sim que colocando algo de bom no mercado, ainda assim terá um pouco de porcaria”.

Pensa nisso quanto tiveres um ataque de perfecionismo.

12. Algumas coisas têm ser ser “acreditadas” antes de serem “vistas”.

Frequentemente é preciso “Crer para Ver” ao contrário do adágio “ver para crer“.

Guy dizia: “Se não acreditas, nunca acontecerá. Se procuras provas, nunca será realidade… A razão pela qual Macintosh se foi bem sucedida foi porque umas 100 pessoas, começando por Steve Jobs, acreditamos na Macintosh. E, porque acreditámos, tornamo-la realidade.”

AS 12 LIÇÕES DE GÉNIO QUE STEVE JOBS DEU A GUY KAWASAKI

AS 12 LIÇÕES DE GÉNIO QUE STEVE JOBS DEU A GUY KAWASAKI

Gostaria de ter o teu comentário aqui por baixo dizendo qual destas 12 Lições de génio que Steve Jobs deu a Guy Kawasaki tu mais apreciaste ou te foi mais útil.

 

 

 

Ebook Grátis Método Completo Guru Instantâneo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *