Não sabes o que hás de fazer à tua vida?

Estás desmotivado/a com a tua vida atual? Sentes-te mal por estares desempregado/a ou o teu emprego já não te preenche? Não sabes que rumo escolher ou que decisões tomar?

Talvez este artigo possa ser útil para… TI!

Depois de passar algumas horas com uma pessoa que me é bastante próxima e por quem sinto muito carinho, senti-me inspirado em escrever sobre as pessoas que ainda não encontraram a sua “Missão” aqui na Terra. Essa pessoa tem um Coração do tamanho do mundo mas em vez de estar focado na Solução está focado nos problemas. E tu, onde está o teu foco?

A palavra Missão está entre aspas pois não acredito que vimos à Terra para fazer uma coisa em específico mas sim, de uma forma geral, para crescer enquanto experienciamos e ensinar enquanto aprendemos. Contudo, descobrires a tua “missão” significa que encontraste aquilo que queres e te comprometes fazer  como o teu melhor contributo para a Visão/Sonho que desejas experienciar.

Passo a explicar…

Para que te possas sentir vivo/a, útil (para ti e para os outros) e imperfeito/a mas Feliz (em contante transformação) necessitas de um Plano. Não necessitas de grandes esquemas nem de alguém ao teu lado, podes demorar o tempo que quiseres e criá-lo onde estiveres.

Se tiveres uma forte honestidade contigo próprio/a, nem do “papel e caneta” necessitas! Mas… sou gajo para te aconselhar isso porque, à medida que lês e relês o que escreves, as ideias vão se moldando e reajustando à realidade que vives assim como a rocha se molda com a ação da água e do vento.

Esse Plano vai dar-te várias informações e direções sobre alguns dos passos que deves dar. Os outros (passos) descobrirás vivendo pois não os conseguirás planear!

Estou a falar do conhecido “Visão, Missão e Valores” mas, em vez de ser um plano para uma organização, é um plano sobre ti e para ti!

Tudo começa por descobrires a tua Visão, o teu Sonho!

Se for para sonhares então que seja em grande!

Quando penso em “sonhares em grande” não penso em fazeres uma lista extensa de coisas que queres ter, fazer ou experienciar como faz uma criança ao escrever para um ilusório “pai” natal (apesar de mais de metade das crianças no mundo desconhecerem essa persona). Bom..

Quando penso em sonhares em grande penso em encontrares algo que seja benéfico e harmonioso para ti e para os que te rodeiam (seres humanos e restante Natureza): sê um/a visionário/a, traz “dum futuro” uma ideia absurdamente nova e ousada. Arrisca mesmo que te pareça utópico!

Tu não vives sozinho/a aqui, tu necessitas do próximo e da Natureza e o próximo e a Natureza necessitam de ti! Sinto ser uma Visão muito redutora, se é que a podemos chamar de Visão, aquela que existe para servir poucos e que é focada no umbigo de quem a cria.

Mesmo que não sejas um/a sonhador/a mas procuras direções sobre o que deves ou não fazer na Vida, aconselho-te: aprende a sonhar, sonha em grande e cria uma Visão que te faça feliz a ti e aos outros.

Quando crias algo, ainda que seja na tua mente (uma ideia), inicias um Tai Ji, um processo de desenvolvimento em constante transformação. À medida que lhe dás cada vez mais atenção (a essa ideia) ela vai-se desenvolvendo, começando a ganhar forma.

Tens mesmo de sonhar em grande porque essa Visão vai ser a direção para a qual caminhas lenta e infinitamente.. Tu e todos aqueles que se identificarem com o mesmo!

BHUMI NEWSLETTER Middle Banner 540 x 300-Recovered

 

Depois de criares um esboço da tua Visão

Sim, é só um esboço por enquanto! Mas sem stress, em breve ganhará forma e só lhe “darás uns toques” ao longo dos anos.

Talvez seja importante perceberes que uma Visão depende dos valores e príncipios pelos quais a pessoa se rege. Independentemente se tens ou não consciência quais são os que escolhes abraçar, sugiro uma nova introspeção.

Cria uma lista daqueles com os quais que te identificas e escolhe apenas 3 ou 4 aos quais serás inteiramente fíel. Se escolheres 7, 9, 12 terás de ser bastante rigído/a contigo próprio/a e isso, geralmente, não traz nem saúde nem felicidade.

Em seguida, faz uma nova reflexão sobre a Visão que escolheste. Perde algum tempo “aí” e fá-la com a maior profundidade e intensidade que consigas.

Permite-te sonhar e sentir como era quando vivias num mundo onde tu e os que te rodeavam eram felizes!

Sim, coloca isso como uma experiência que aconteceu no passado (apesar de te ter pedido para ires “ao futuro” ver a ideia) e vive e sente como se conhecesses perfeitamente essa sensação. Acredita que é mais eficaz sentires na pele a experiência como algo que já viveste do que estares constantemente a emanar uma frequência de “Eu quero aquilo que ainda não tenho”, como se fosses um/a pedinte, uma vítima ou um/a coitadinho/a.

É muito mais fácil para o teu Ser replicar algo que já viveu (como se fosse algo já adquirido, já experienciado) do que algo que sente que não vive e que não consegue viver. Não só é mais fácil, como o resultado é completamente diferente! Tens dúvidas? Experimenta!

Quando encontrares a tua Visão

Respira (fundo) de alívio porque estás perto de encontrar a tua Missão, ainda que momentânea, aqui na Terra!

Contudo, a clareza aparece quando nos permitimos ser vulneráveis e honestos connosco próprios. A minha sugestão aqui é: “mergulha-te”! Mergulha em ti, questiona-te, sente, larga o velho e agarra o novo (sejam ideias, preconceitos, pensamentos, relações, empregos, o que for)!

Exemplos de questões úteis: “Como posso eu contribuir para que esta Visão se torne algo real?”; “O que tenho dentro de mim que possa contribuir para o desabrochar desta Visão?”; “O que preciso fazer para que isso aconteça?”; “Quais seriam as minhas funções, responsabilidades e obrigações numa sociedade feliz?”;

Permite-te viajar e transformares-te por aí durante algum tempo. Não tenhas pressa, aqui não há fastfood nem fibras ópticas a grandes velocidades! Estás no processo de te tornares em alguém capaz de abraçar a responsabilidade da Visão que escolheste, contribuindo com o que mais gostas e melhor sabes fazer (a tua Missão) enraízado em bonitos e sólidos Valores morais, sociais, éticos, religiosos, materiais e/ou estéticos!

Agora a sério…

Tenho quase a certeza que não pegaste num papel e numa caneta nem estiveste a tirar notas…

Quando vais fazer o teu plano se hoje não o fazes só porque não tens tempo (quando isso é apenas falta de vontade de mudar)?


Se queres partilhar comigo a tua Visão, Missão e Valores ou se sentiste dificuldades durante esse processo e sentes que te posso ser útil nesse processo, entra em contacto comigo pelos meios disponíveis. Sabe quais na página CONTACTOS ou clicando AQUI!

Se sentes que és a pessoa que me inspirou a escrever este artigo e se, por acaso, estas palavras te tocaram de alguma forma, ficarei contente em sentir que reconheceste em ti que o que te falta na vida é uma Missão!

Espero-te bem,

João